quarta-feira, 13 de junho de 2007

metro: baixa-chiado

desciam as escadas rolantes. um dos quatro lanços do metro do Chiado. era véspera do dia de santo antónio e estava sol. ele de costas para o fundo, ela de costas para o topo das escadas. corpos encostados, beijavam-se num beijo quieto onde não se vislumbravam movimentos. prestes a terminar aquele lanço ele vira-se e andam até ao próximo. aí, ele à frente, torna a voltar-se para ela e unem as bocas, encostam os corpos, quietos. e assim continuam a descer essa e todas as outras escadas, até ao corredor. quatro longos beijos intercalados por uns quantos passos. ou o descer às profundezas através da união de duas bocas. sem aparente paixão ou intenso desejo de penetração. um beijo como um jogo, como uma combinação, como uma promessa...

Um comentário:

Manuel Marques disse...

permite-me dizer-te que adorei este texto... estava a escrever uma espécie de poema sobre a Baixa Chiado e decerto encontrei lá as duas personagens do teu texto... puro acaso...

parabéns pelo blogue!